quarta-feira, 28 de junho de 2017

História de um diálogo entre mim e uma NE

Estava eu no campo a fotografar quando de repente, não sei de onde, apareceu esta nave espacial que ficou bem na frente dos meus olhos e alguém (uma voz) falou comigo perguntando-me se eu era um habitante deste planeta terra, ao que respondi que sim. Perguntou-me quem era o culpado de tantas tragédias e guerras que têm acontecido no planeta, se era eu? Respondi que não, que sou demasiado insignificante para isso e acrescentei que os responsáveis são a ganância, o poder, a insensibilidade, a incoerência dos homens que antes de governarem defendem as coisas boas da vida, mas que quando chegam ao governo, mesmo das mais pequenas localidades e não só dos países, têm uma grande falta de memória e esquecem tudo o que disseram...
Tal como apareceu, desapareceu, sem que antes me dissesse que ía voltar para o planeta dele porque lá respeitam todos os seres vivos, o planeta e os semelhantes. E que vivem assim há milhões de anos e são todos felizes!


Santuário de Fátima


terça-feira, 27 de junho de 2017

Cheleiros do passado...


Numa das imagens está escrita a data de 1844, embora pense que ambas as imagens serão reprodução de fotografias da mesma época.
Uma está a preto e branco e a outra está a sépia.

Trevo-de-quatro-folhas



NOME CIENTÍFICO: Oxalis tetraphylla. 

Nota: Seu nome deriva do grego, que significa:  “tetra” = quatro e “phylla” = folhas.

NOME POPULAR: Trevo-de-quatro-folhas, cruz-de-ferro, trevo-da-sorte.

Curiosidade: Apesar de ser conhecido como trevo, na realidade é um falso-trevo, o trevo comum pertence a outra família, a Fabaceae.

SINONÍMIA: Oxalis deppei.

FAMÍLIA: Oxalidaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: México.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Felicidade e solidão



Por vezes a única maneira de vivermos é matando dentro de nós quem mais amamos e enfrentando a imensidão do mundo sozinhos...
Não encontraremos a felicidade, mas pelo menos não teremos como companhia a dor de amarmos quem não nos ama e não compreende e por isso não está na nossa companhia...
As minhas mãos estão caídas e livres para ser agarradas por mãos caídas e livres. A solidão por vezes é a única companhia que temos e, onde menos esperamos, encontramos o motivo para sermos felizes ou enganarmos quem se cruza connosco fazendo-os crer que somos felizes nesta infelicidade...
MacSantos

Borboleta branca da couve (Pieris brassica)


 A borboleta branca simboliza a serenidade, a calma, a paz.

Pintassilgo (Carduelis carduelis)


Salgados, Nazaré


Heliotaurus ruficollis


O Concerto da Banda Filarmónica

Sociedade Recreativa e Musical de Vila Franca do Rosário